Blog

Entenda os tipos de perda auditiva e como identificar os sintomas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Problema que pode ocorrer em indivíduos de qualquer idade, a perda auditiva pode ser ocasionada por diversos fatores. Entre eles estão características genéticas, pressão alta, diabetes e tabagismo. O sedentarismo também pode contribuir de forma negativa e agravar o processo.

Por isso, antes de abordarmos os tipos de perda auditiva, vale ressaltar a importância de buscar um otorrinolaringologista qualificado, seja para acompanhamento de rotina – em que a periodicidade pode ser definida entre você e seu médico de confiança – ou para averiguar sintomas que podem indicar o início do problema.

Entre esses sintomas, por exemplo, podem aparecer a perda na capacidade de entender e discernir palavras, seja em ambientes normais ou com ruídos, o surgimento de zumbido no ouvido e o desconforto ao ouvir sons altos. Lembre que quanto mais cedo um problema de saúde for corretamente diagnosticado e tratado, mais satisfatória e eficaz tende a ser a recuperação.

De forma geral, a perda na capacidade de audição pode ser dividida em três tipos:


Neurossensorial

Nesse tipo de perda, o problema ocorre na orelha interna (cóclea) e no nervo auditivo, quando as células responsáveis pela transmissão de mensagens sonoras não conseguem levá-las até o cérebro. Assim, mesmo que o som chegue ao ouvido interno, eles não são enviados como impulsos ao cérebro.

Entre as possíveis causas do problema, estão fatores genéticos, envelhecimento, exposição a altos ruídos e barulhos e até efeitos da quimioterapia.

Por envolver a perda de células neurotransmissoras, esse tipo de perda auditiva normalmente é mais difícil de ser tratada. Para contornar essa condição, pode ser indicado ao paciente o uso de aparelhos auditivos ou implantes que restabelecem a função auditiva, melhorando a qualidade de vida de muitos deles.

Condutiva

Esse tipo de perda auditiva ocorre na orelha externa ou média. Em muitos casos, há algum bloqueio na orelha que dificulta que o som consiga atingir o cérebro. Entre as causas desse problema, estão excesso de cera na orelha, ferimentos no tímpano e infecções do ouvido, como otites.

Muitas vezes o médico pode utilizar tratamentos médicos simples para sanar o problema, como o uso de antibióticos quando houver infecção. Uma espécie de limpeza para remover o excesso de cerume, também pode ser uma opção. Em casos mais graves, o profissional pode recomendar o procedimento cirúrgico.

Mista

Essa condição é uma combinação da perda auditiva neurossensorial com a condutiva, resultando em problemas tanto na parte interna quanto externa da orelha.

Entre as causas do problema, estão infecções crônicas no ouvido, perfurações do tímpano, fatores genéticos e uso de alguns medicamentos, por exemplo.

Para sanar o problema, o médico pode optar entre o uso de aparelhos auditivos ou uma cirurgia também pode ser recomendada em alguns casos.

Sobre a Dra Ane Trento

Dra Ane Trento é Otorrinolaringologista, com residência médica realizada no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, e Fellow em Cirurgia Facial no Hospital do Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia (IPO).

Atende em Santa Catarina (SC), nos municípios de Criciúma, Tubarão e Içara. Para mais informações, clique aqui.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Dra Ane Trento é Otorrinolaringologista, com residência médica realizada no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, e Fellow em Cirurgia Facial no Hospital do Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia (IPO).

Atende em Criciúma (SC).

Contato