Blog

Otorrino na infância: primeiros cuidados

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Os cuidados com a saúde iniciam desde as primeiras horas de vida. Algumas vezes, a visita ao especialista é realizada apenas quando surgem problemas e sintomas. Em outras, alguns exames preventivos são obrigatórios. No caso do cuidado com o ouvido, nariz e garganta, área do otorrinolaringologista, alguns cuidados relativos à saúde do bebê e da criança são essenciais. Abaixo, explico algumas situações que merecem atenção:


Teste da orelhinha

Também chamado de Triagem Auditiva Neonatal, é um principais exames realizados nos recém-nascidos ainda na maternidade  —  assim como o teste do pezinho e do olhinho. O objetivo deste teste é o de constatar de forma precoce possíveis deficiências auditivas provenientes de malformações congênitas, doenças genéticas e doenças infecciosas que atingem as gestantes, como rubéola e toxoplasmose. Leia mais sobre o teste da orelhinha aqui.

Limpeza do nariz no recém nascido

O acúmulo de secreções nas narinas pode contribuir para gripes, resfriados e rinites. Por isso, a higienização do nariz das crianças, desde os primeiros dias de vida, é importante. A limpeza deve ser realizada com uma seringa e soro fisiológico 0,9%. O processo é rápido e simples: basta aplicar todo o conteúdo da seringa em um jato forte e contínuo em cada uma das narinas. Existem dispositivos prontos em farmácias que facilitam a aplicação.


Higienização do ouvido do bebê

Embora seja comum a utilização de hastes flexíveis para a limpeza do ouvido do bebê, isso não é indicado. Qualquer objeto pontiagudo no ouvido do recém nascido pode causar o efeito contrário: a cera é empurrada e possibilita um entupimento.  Além disso, corre-se o risco de lesionar o tímpano, caso a criança faça qualquer movimento brusco.

O ideal é realizar a limpeza apenas na parte externa, visto que a cera produzida pelo ouvido funciona como um fator protetor. Utilize uma fralda de pano ou gaze umedecida com água morna para fazer esta limpeza com segurança. 

Otite média aguda

É mais comum ocorrer nos pequenos do que nos adultos devido às estruturas do ouvido que ainda estão em desenvolvimento. Sua incidência maior é crianças com idade de 3 meses a 3 anos e o principal sintoma é a dor forte no ouvido. Como muitos nesta faixa etária não conseguem expressar com palavras essa dor, é importante ficar atento ao choro, dificuldade de dormir e irritabilidade. No inverno, principalmente, os casos aumentam devido a consequências de resfriados, gripes e outras infecções respiratórias. Confira os sintomas da otite média aguda


Laringomalácia

Esta é uma condição congênita muito comum em bebês e jovens. Trata-se de um atraso na maturação das estruturas de suporte da laringe, uma obstrução que leva à obstrução das vias aéreas. O principal sintoma da laringomalácia é a respiração ruidosa, também conhecida como estridor. É um som agudo que pode ser ouvido quando o bebê inala.

Sobre a Dra Ane Trento

Dra Ane Trento é Otorrinolaringologista, com residência médica realizada no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, e Fellow em Cirurgia Facial no Hospital do Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia (IPO).

Atende em Santa Catarina (SC), nos municípios de Criciúma, Tubarão e Içara. Para mais informações, clique aqui.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Dra Ane Trento é Otorrinolaringologista, com residência médica realizada no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, e Fellow em Cirurgia Facial no Hospital do Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia (IPO).

Atende em Criciúma (SC).

Contato