Blog

Excesso de cera no ouvido: causas, sintomas e tratamento

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Sensação de ouvido entupido, coceira e outros incômodos podem ser sinais de que você está com excesso de cera no ouvido. Também chamado de cerume impactado, o problema ocorre pela obstrução do  canal auditivo pelo acúmulo de cera.

O que é o cerume?

O cerume é o nome que se dá a substância produzida pelas glândulas dos ouvidos. Mais conhecida como cera de ouvido, ela é formada por mistura de descamação da pele do conduto auditivo externo e secreções destas células.

Composto por algumas enzimas e pH baixo que ajuda a evitar a infecções por microorganismos, o cerume age como barreira protetora e lubrificante do ouvido. Sua principal função é proteger a pele do canal auditivo externo de danos provocados pela água, traumas, corpos estranhos, infecções, etc.

Causas

Naturalmente, o nosso organismo elimina o excesso de cerume. É por isso que não é necessário e nem indicado utilizar hastes flexíveis ou objetos pontiagudos com algodão na ponta para retirar a cera. Pelo contrário, fazer isso apenas empurra ainda mais a substância para dentro do ouvido, causando o cerume impactado.

Outra causa comum do excesso de cera é o uso de fones de ouvidos ou protetores auditivos tipo plugs intra-auriculares e moldes de silicone (usado por alguns nadadores). Além da predisposição para o problema, que pode ocorrer quando o organismo não tem um equilíbrio entre a produção e a eliminação da cera, causando o acúmulo da substância no canal auditivo.

Sintomas

O primeiro sinal de que há excesso de cera no ouvido é a redução da audição. No entanto, alguns pacientes podem demorar anos para perceber que estão escutando em menor volume. 

Geralmente, o problema só se torna perceptível quando outros sintomas começam  a aparecer como pressão no ouvido, sensação de ouvido entupido, coceira, tosse, zumbido e até tonturas. A dor pode estar presente, mas em raros os casos.

Diagnóstico

Ao sentir dificuldades para ouvir, é necessário que o paciente procure o mais rápido possível um médico otorrinolaringologista, já que o desconforto pode ser sinal de outros problemas mais sérios. O diagnóstico do cerume impactado costuma ser bem simples, por meio do exame de otoscopia. Com um aparelho chamado otoscópio, que é inserido no conduto auditivo externo, o especialista consegue visualizar o cerume impactado. Quando há acúmulo de cera no canal auditivo, a membrana timpânica não é possível de ser vista pela otoscopia.

Tratamento

Há três tipos de tratamentos recomendados para o excesso de cera dos ouvidos: uso de ceruminolíticos, lavagem e remoção mecânica pelo otorrinolaringologista. Os ceruminolíticos são medicamentos utilizados para amolecer o cerúmen, facilitando sua expulsão natural.

Já a lavagem é realizada por meio de soro aquecido, injetado com uma seringa para dentro do conduto auditivo, proporcionando que a cera seja expulsa. Quando a cera está muito seca, a melhor opção para retirar o excesso da substância é a remoção mecânica por meio de instrumentos especiais.

Procure um especialista

É sempre bom lembrar que apenas um médico otorrinolaringologista pode realizar qualquer tratamento para cerume impactado. Realizar qualquer um dos procedimentos em casa pode provocar, infecções ou até mesmo problemas mais sérios como perfuração da membrana do tímpano. 
Caso queira marcar uma consulta, basta entrar em contato conosco pelo site ou pelo WhatsApp.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Dra Ane Trento é Otorrinolaringologista, com residência médica realizada no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, e Fellow em Cirurgia Facial no Hospital do Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia (IPO).

Atende em Criciúma (SC).

Contato