Blog

Amígdalas: para que servem e quando retirar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Embora intimamente relacionadas à dor de garganta, as amígdalas também têm seu lado positivo para o organismo. Também chamadas de “tonsilas palatinas”, elas ficam entre o final da boca e o início do nariz e garganta, e atuam na produção de anticorpos para frear o ataque de bactérias e agentes infecciosos

As amígdalas não indispensáveis para a sobrevivência, no entanto, desempenham papel importante no sistema imunológico. E é por isso que essas estruturas sofrem tanto com inflamações, as famosas “amigdalites”, causadas pelas próprias bactérias que elas buscam combater.

Amigdalite

As amígdalas crescem durante a infância, até por volta dos 11 anos de idade. É por isso que, neste período de crescimento, e também por conta da imaturidade do sistema imunológico, as crianças sofrem muito com a inflamação das amígdalas, chamadas de amigdalites.

Os episódios muito recorrentes de dores de garganta causadas pela amigdalite, que por vezes até afetam o desenvolvimento da criança, normalmente é o que fazem os pais, em conjunto com o(a) médico(a) decidirem pela retirada das amígdalas.

Quando retirar as amígdalas?

A amigdalectomia, que é a cirurgia para a retirada das amígdalas é indicada para os pacientes que apresentam episódios muito frequentes de amigdalites bacterianas e quando o tratamento com antibióticos não apresenta resultados satisfatórios. 

O procedimento também é recomendado para os casos em que as amígdalas aumentam muito de tamanho e acabam obstruindo as vias respiratórias ou afetando o apetite.

Como é feita a cirurgia

A cirurgia de remoção das amígdalas é um procedimento considerado simples, que leva de 30 minutos e 1 hora para ser realizado. O médico cirurgião insere uma pinça pela própria boca do paciente para retirar as amígdalas.

Para a procedimento de retirada das amígdalas, o paciente recebe anestesia geral e na maioria das vezes, tem alta no no mesmo dia. A exceção são casos em que há sangramento ou quando a pessoa não consegue engolir líquidos, para esses pode ser recomendado permanecer internado por pelo menos uma  noite.

Recuperação

A recuperação da cirurgia de remoção das amígdalas costuma durar entre uma a duas semanas. Entretanto, geralmente, apenas o paciente apresenta dor de garganta apenas nos cinco primeiros dias após o procedimento.

Embora não seja necessário repouso absoluto neste período, é necessário que o paciente que retirou as amígdalas evite fazer esforços. De forma especial, para uma recuperação rápida, é importante que as orientações sobre a alimentação sejam seguidas:

  • Beber muitos líquidos, principalmente água;
  • Comer alimentos líquidos e pastosos frios ou gelados;
  • Evitar alimentos duros e ásperos durante 7 dias.

É considerado normal que alguns pacientes tenham náuseas e vômitos durante o pós operatório da cirurgia de retirada das amígdalas. Mas caso haja febre alta que dura mais de três dias ou sangramento excessivo, é necessário retornar ao médico imediatamente.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Dra Ane Trento é Otorrinolaringologista, com residência médica realizada no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, e Fellow em Cirurgia Facial no Hospital do Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia (IPO).

Atende em Criciúma (SC).

Contato